A importância do cuidado com a alimentação

A importância do cuidado com a alimentação

Quem é que não gosta de comer? Comer é bom demais mesmo, mas em época de consumo de produtos industrializados em excesso e de fast food, o grau de obesidade da população brasileira vem aumentando bastante. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2009, apresentou resultados de pesquisa com a população brasileira, afirmando que a obesidade está aumentando não apenas na população adulta, como também em crianças e adolescentes. Por isso, o cuidado com a alimentação aliado à prática regular de atividade física é fundamental para a manutenção de sua saúde. Nessa semana foi comemorardo o Dia mundial da alimentação em diversas partes do mundo e gostaríamos de propor uma reflexão sobre quantos e quais alimentos você costuma ingerir, e fazer com que você procure se adequar a uma alimentação mais equilibrada.

 

Os alimentos são responsáveis por fornecerem ao nosso corpo os nutrientes a seguir enumerados:

1) Carboidratos: são encontrados em vegetais, frutas, pães, cereais, arroz, massas e leite. Entre 50% e 65% da energia necessária ao corpo é fornecida por eles. Deve-se lembrar que eles são fundamentais para um bom funcionamento das funções cerebrais;

2) Proteínas: são necessárias para o crescimento e para o reparo das células deterioradas, além de auxiliar na digestão e na produção dos anticorpos. São encontradas nas carnes, leite, ovos e frutas secas. Fornecem entre 10% a 15% da energia necessária ao corpo;

3) Lipídeos: são as gorduras responsáveis por fornecer ao corpo uma grande concentração de energia alimentar. Neles encontramos as vitaminas A, D, E e K, além de auxiliarem na reestruturação dos tecidos. É recomendado que não forneçam mais de 30% de energia ao corpo.

O panorama dessa estrutura alimentar pode ser visualizado por meio da pirâmide alimentar. Ela apresenta de um modo bastante visual, as porções de cada tipo de alimento que devem ser ingeridas diariamente.

 

piramide

 

Existem vários tipos de pirâmides alimentares pelo mundo. Elas normalmente apresentam variações, pois cada região possui uma especificidade na dieta. No Brasil, por exemplo, a primeira pirâmide foi desenvolvida em 1999, entretanto, após esse período, ela recebeu uma reestruturação para se adequar melhor à realidade do nosso país. A pirâmide alimentar brasileira atual baseia-se em uma dieta de 2000 quilocalorias e agrupa os alimentos em oito grupos básicos.

Com esses dados, é possível perceber que o grupo dos carboidratos (arroz, pão, massa, batata, mandioca) deve ser a base da nossa dieta, uma vez que são alimentos que fornecem energia. Nesse caso, é importante destacar que a melhor opção é investir em produtos integrais, pois ele fornecem mais fibras. Os grupos de óleos, gorduras, doces e açúcares devem ter consumo moderado, pois seu consumo exagerado relaciona-se com a ocorrência de obesidade.

 

O que a pirâmide alimentar brasileira apresenta além da quantidade de alimento recomendado?

A pirâmide alimentar brasileira apresenta como diferencial a presença de duas mensagens importantes: a necessidade da seis refeições diárias e da prática de atividades físicas. De acordo com as recomendações presentes na pirâmide alimentar, faz-se necessário realizar as três refeições diárias básicas e lanches intermediários entre elas. Também é importante a prática de pelo menos 30 minutos diários de atividades.

E como colocar tudo isso em prática? Elaborar um pequeno diário relacionando os alimentos que você consumiu, e analisá-lo comparando com a pirâmide alimentar é um ótimo meio para que você se conscientize do quanto a sua alimentação está equilibrada. A identificação e consciência da sua dieta diária em relação à dieta ideal, dada pela pirâmide, permite que você melhore a sua alimentação e, consequentemente, a sua qualidade de vida.

 

Fonte: Brasil Escola

 


Imprimir   Email
0
0
0
s2sdefault